Remédios podem ficar mais caros com alta do ICMS

    (Foto: Sérgio Castro/Agência Estado/AE)

    Desde o final do ano passado, 12 estados aumentaram o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), gerando impacto médio de 1,2% sobre produtos. No Rio Grande do Sul, a alíquota dos laboratórios passou de 17% para 18%. Segundo informações da Interfarma, associação que reúne 55 laboratórios em todo país, a carga tributária sobre medicamentos, no país, chega a 34% do preço total.

    A indústria farmacêutica também vem sendo afetada por outros custos, como o aumento de energia elétrica e a alta do dólar, que não foram repassados ao consumidor. Segundo o gerente de uma rede de farmácias, Cláudio do Santos, ainda não foi inserido nenhum aumento direto nos medicamentos na cidade. As informações são do Jornal Folha do Sul.