Surto de caxumba começa a diminuir em Bagé

    Apesar dos casos de caxumba em Bagé terem aumentado de 234 para 284 em um mês, os números estão diminuindo em relação ao início do surto. De junho para julho, por exemplo, as ocorrências dobraram no município, e agora aumentaram apenas 50.

    De acordo com a responsável pelo setor de epidemiologia do Núcleo de Doenças Transmissíveis da Secretaria Municipal da Saúde, enfermeira Sheila Tavares, no ano passado foram registrados 15 casos de caxumba.

    Conforme ela, é considerado surto quando acontecem dois ou mais casos relacionados, restrito a um espaço delimitado – como colégio, quartel e creches – e não tem uma faixa etária específica; a doença pode atingir qualquer pessoa.

    Sheila informa que desde o mês de maio foram registrados focos nos quartéis, estádios de futebol, escolas e em alguns bairros da cidade. Conforme a enfermeira, a transmissão é por via aérea e pode ser feita até mesmo antes da pessoa ter os sintomas.

    A Secretaria Municipal de Saúde orienta que, em casos suspeitos da doença, a pessoa procure um médico. Segundo Sheila, qualquer pessoa que tenha contato com alguém contaminado pode receber a imunização para prevenção. A dose está disponível em todos os postos de saúde do município.

    Estefânia Borges/Jornal Minuano