Senado Federal caça os direitos do cargo de presidente de Dilma Rousseff, mas não a inabilita a funções públicas

    Na tarde desta quarta-feira (31) o Senado Federal, em votação eletrônica, caçou os direitos da presidente Dilma Rousseff. Depois de dias de debate, os senadores decidiram por 61 votos à 20 que Dilma Rousseff deveria perder o cargo por crimes de responsabilidade. Ainda em segunda votação, eles decidiram por 42 votos à 36, que ela não ficará inabilitada a ocupar funções públicas por oito anos.

    Ainda na manhã de hoje, os petistas entraram com um requerimento solicitando que as votações fossem realizadas em duas etapas, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que comanda o julgamento, deferiu o pedido da oposição para destacar o trecho da pergunta a ser votada pelos senadores que diz respeito à inabilitação para a função pública.

    Ricardo Lewandowski explicou que seriam duas votações. Na primeira, os senadores votariam se a presidente Dilma Rousseff deveria ser condenada à perda do cargo por crimes de responsabilidade e a segunda, se ficará inabilitada a ocupar funções públicas por oito anos.