Operação policial interdita seis estabelecimentos em Bagé

    Tiago Rolim de Moura/Jornal Minuano

    Uma operação de fiscalização organizada pelo Ações Integradas de Segurança Rural (Acinser) interditou, na noite de sexta-feira e madrugada de sábado passado, seis estabelecimentos dos sete vistoriados. Todos os locais interditados não continham todos os itens exigidos no Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI).

    Conforme o coordenador regional do Acinser, Reni Dornelles, esta foi uma das maiores operações noturnas que ocorreu em Bagé. “O objetivo principal é que todas danceterias, casas noturnas e bares da cidade estejam com a documentação, requisitos mínimos de prevenção contra incêndio e condições de saúde em dia”, avisa.

    Locais
    A fiscalização começou por volta das 23h de sexta-feira. O primeiro local fiscalizado foi uma whiskeria, na avenida General Mallet. O local, segundo informações, não possuía alvará dos bombeiros nem sanitário; Treinamento de prevenção e combate de incêndio (TPCI) (curso obrigatório) também não foi realizado; não havia iluminação e tampouco sinalização. O estabelecimento foi interditado até se adequar às normas.

    No local também um veículo com licenciamento vencido foi recolhido pela Brigada Militar e uma faca foi apreendida. Após, uma casa noturna na Vila de Santa Thereza, foi interditada pelos bombeiros e também pela vigilância sanitária, pois não haviam os alvarás, sinalização, TPCI, iluminação e nem extintores.

    Uma outra whiskeria, no bairro Getúlio Vargas, foi o único local visitado que não foi interditado pois, de acordo com os órgãos de segurança, os itens mínimos foram encontrados em estado de funcionamento. No local, estavam dois uruguaios. Para os policiais, eles relataram que é a primeira vez que visitam a cidade.

    Na avenida Santa Tecla, um bar foi visitado pela fiscalização. O local também foi interditado pois não tinha iluminação e extintores.

    Uma casa noturna no bairro Alcides Almeida estava com sinalização precária, extintores vencidos e não possuía o curso do TPCI. Foram também revisadas as carteiras de imunização das profissionais que trabalham no local e orientado a colocar em dia as vacinas.

    Uma choperia na avenida General Osório foi interditada e levou uma advertência por desobediência de ordem judicial de cumprimento de horário até a 1h. O estabelecimento também não possuía alvará dos bombeiros, extintores, sinalização, iluminação, ninguém no estabelecimento tinha feito o curso do TPCI e nem possuíam Central de Gás Liquefeito de Petróleo. O local também não tinha alvará sanitário.

    A última visita foi a um bar, na avenida Presidente Vargas que também foi interditado pelo Corpo de Bombeiros, pois não possuía extintores, sinalização, iluminação, curso do TPCI e o alvará está sem a localização correta, sendo de outro local.

    O coordenador do Acinser destacou que vários desses estabelecimentos, em operações anteriores, já haviam sido orientados e tinham prazos para adequação junto aos órgãos competentes.

    Participaram desta ação: Secretaria Municipal da Fazenda, Pelotão de Operações Especiais (POE), Patrulha Ambiental, Setor de Inteligência da Brigada Militar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Bagé/RS – Comdica, Conselho Tutelar, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Vigilância Sanitária, Secretaria Municipal de Transporte e Circulação e agentes penitenciários da Susepe.

    Rochele Barbosa/Jornal Minuano


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009