Grupo de trabalho pela segurança pública é formado para discutir e combater o abigeato

    13/agosto/2016 às 19h05min
     Atualizado terça-feira, dia 16 de agosto de 2016 às 16h40min

    O abigeato é um crime muito comum em nossa região. Os prejuízos causados aos pecuaristas e os danos à saúde das pessoas que consomem esta carne tem causado grande preocupação a comunidade. Assim, na tarde de quarta-feira (10), esse grupo foi formada por entidades e forças de segurança com objetivo de elaborar métodos e estratégias para que o crime seja combatido com mais rigor e eficácia.

    Conforme o sargento Marco Aurélio Gonçalves, da Brigada Militar, é importante que o pecuarista que evidenciar que foi vítima de abigeato, faça o registro de ocorrência na delegacia de polícia; pois muitas vezes algumas vítimas não o fazem por acreditar ser ineficaz. Também é necessário que as pessoas conscientizem-se e não consumam carne sem procedência, pelas diferentes patologias que esta carne pode transmitir, que atualmente está sendo registrada no município e causando mortes nos rebanhos.

    O inspetor de polícia Patrício Antunes também salientou a importância da continuidade da operação Acinser, que fiscaliza açougues em busca de carnes sem procedência; além de outras irregularidades. A comissão é formada pela Brigada Militar, Polícia Civil, Associação de Médicos Veterinários, Rádio Sulina, Secretaria de Saúde e Meio Ambiente e Sindicato Rural.