“Está havendo sincronia de todos os setores”, diz presidente do Compave

    O presidente da Compave (Comissão Municipal de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar), advogado Geancarlo Loreto Laus, comemorou, na quarta-feira passada (3), logo após reunião promovida pela Comissão, o fato de, em suas palavras, estar havendo “(…) sincronia de todos os setores que integram a Compave, e por decorrência já começa a haver a busca de solução para os problemas”, disse, referindo-se a órgãos como GGI-M (Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública Municipal), Brigada Militar, Polícia Civil, Consepro (Conselho Municipal Pró-Segurança Pública), Conselho Tutelar, Comdica, entre outros.

    Ele exemplificou que, após a primeira reunião, identificou-se que no entorno de duas escolas da rede pública municipal havia incidência de drogadição e violência. “Tratamos, então, de acionar a Polícia Civil, a Brigada Militar e o Conselho Tutelar. E a BM informou que já mobilizou seus efetivos no sentido de resolver essa situação”, destaca.

    Em outras escolas, já se identificou a necessidade de intervenção de psicólogas e assistentes sociais da administração municipal, e já estão atuando as secretarias de Saúde e de Assistência Social. “Existem alunos com problemas comportamentais de origens diversas. E os problemas, às vezes, vêm da família, então não basta atender só o aluno, mas também é necessário atender seus pais”, complementa o presidente da Compave.

    No contexto, profissionais dos CRAS (Centros de Referência em Assistência Social) e do CREAS (Centro de Referência Especializada em Assistência Social) já estão visitando as escolas municipais para atender essas demandas.

    Paralelamente, o Departamento de Trânsito da Secretaria Municipal de Obras, Viação e Serviços Públicos, dirigido por Alex Moreira, está desenvolvendo junto às escolas um programa de educação para o trânsito. “E também já estamos pedindo que haja uma melhor sinalização nos arredores das escolas, bem como se instale redutores de velocidades nas ruas que dão acesso a esses educandários”, conclui Geancarlo.

    Silvio Bermann