Cerca de 390 beneficiários podem perder Bolsa Família por falta de atualização cadastral em Bagé

    4/agosto/2016 às 17h41min
     Atualizado quinta-feira, dia 4 de agosto de 2016 às 17h42min
    Arquivo JM

    O sistema do programa Bolsa Família registra que, atualmente, Bagé possui 7.850 cadastrados. Mesmo sendo variáveis, os dados indicam que o número de atendidos vem diminuindo, desde o início do ano.

    De acordo com os dados disponíveis no Portal da Transparência, os valores encaminhados pelo governo federal para pagamento dos benefícios vêm decrescendo gradualmente desde o início de 2016. Enquanto em janeiro o repasse foi de R$ 1.140.897,00, em junho, o último mês atualizado, foi de R$ 1.086.382,00.

    No mesmo período do ano passado, o montante destinado aos beneficiários era de R$ 1.316.721,00. Ainda assim, o valor era inferior ao repassado em janeiro de 2015, de R$ 1.497.852,00. Assim como em 2016, o repasse foi diminuindo gradativamente.

    O coordenador do programa em Bagé, Marcus Gularte, explica que há uma alta rotatividade no número de beneficiários, por isso os dados não são imutáveis e variam muito de um mês para outro. Mas<strong> </strong>no mês de julho a variação foi uma consequência da atualização cadastral realizada nos dois últimos meses.

    A atualização dos dados é uma exigência do Ministério do desenvolvimento Social, a fim de apontar possíveis irregularidades nos cadastros. Dos mais de oito mil beneficiários registrados em junho, 980 foram convocados a atualizar os dados junto à Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Smtas).

    Gularte conta que dos 980 beneficiários que deveria atualizar o cadastro, apenas 592 compareceram. Os outros 388 tiveram o valor do benefício bloqueado para julho. Por isso, neste mês já não receberam o valor. Se, ainda assim, não comparecerem à secretaria, o benefício será cancelado em definitivo.

    O coordenador afirma que ainda não recebeu um retorno do ministério sobre a permanência das famílias que atualizaram os dados no programa. “Os dados da averiguação cadastral estão sob análise. Esse levantamento irá indicar quantos beneficiários ainda estão dentro dos critérios e, portanto, aptos ou não a receber”, informa.

    Melissa Louçan / Jornal Minuano