Sindicatos de segurança anunciam paralisação de 15 horas para o dia 4 de agosto

    Anderson Ribeiro

    Após o anúncio do governador José Ivo Sartori (PMDB) de parcelar o salário dos servidores estaduais, os representantes do Bloco da Segurança Pública (BSP), que reúne entidades representativas de servidores públicos do setor, decidiram, em reunião na noite de quinta-feira, que irão paralisar as atividades no dia 4 de agosto.

    No encontro, membros das entidades deliberaram sobre o método de protesto ao parcelamento de salário, que neste mês vai pagar apenas R$ 650 num primeiro momento. Após a reunião, em nota formalizando a decisão, as instituições recomendaram à população gaúcha que evite sair às ruas no dia 4, assim como que o comércio evite abrir suas portas, frente à falta de segurança que deve ocorrer na data.

    De acordo com o comunicado enviado à imprensa, o Bloco da Segurança Pública esteve sexta-feira, em frente ao Palácio Piratini, com o objetivo de exigir imediata agenda com o governador do Estado. As entidades que compõem o BSP anunciaram a deflagração de uma operação padrão que deverá ser mantida até a integralização do salário e convocou uma paralisação de 15 horas de duração, que irá das 6h às 21h do dia 4.

    O diretor local da Ugeirm/Sindicato, o comissário de Polícia Civil Luís Henrique Lamadril, comenta que, desde ontem, somente são atendidas ocorrências de maior gravidade. “Como, por exemplo, homicídios, Maria da Penha e crimes contra crianças, adolescentes e idosos”, detalhou.

    Lamadril enfatiza que é fundamental que os agentes reforcem a “Operação Padrão”, negando a participação em qualquer atividade policial especial enquanto os salários não sejam pagos em sua integralidade. “Não será realizado atendimento fora do expediente. Pedimos a compreensão da comunidade. Estamos lutando por melhores condições de trabalho e, também, pela contratação dos concursados. Não queremos prejudicar a população, mas temos que lutar pelos nossos direitos”, completa.

    O líder sindical informa que os registros de perda de documentos deverão ser realizados através da Delegacia Online. Não será realizado no plantão da Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA). “A princípio, estaremos com a operação padrão até dia 19 de agosto. No dia 4, quando faremos as 15 horas de paralisação, estaremos realizando atos junto à comunidade”, garante.

    Relembre
    Ano passado, diversas manifestações foram realizadas no Estado cobrando o pagamento integral dos vencimentos dos servidores públicos. Em Bagé, entidades da segurança pública realizaram paralisações e caminhadas pelas ruas da cidade: entre as pautas, na época, também estavam a busca pela contratação de aprovados em concursos e melhores condições de trabalho.

    Candiota e Dom Pedrito
    A reportagem fez contato com as Delegacias de Polícia das cidades de Candiota e Dom Pedrito e foi informada que ambas integrarão a paralisação no dia 4 de agosto, atendendo somente casos graves.

    Folha do Sul


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009