Mãe vive com seus 4 filhos em casa de lata forrada com papelão em Livramento

    Uma história comovente de uma mãe que batalha pelo bem estar dos seus filhos. Com toda dificuldade do dia a dia, a família se mantém unida e repleta de esperança. No dia 27 de julho, o jornal A Plateia conheceu a história de Claudia Ribeiro, desempregada e mãe de 8 filhos.

    Em conversa realizada com a mesma, ela conta que tem a ajuda somente dos vizinhos e da mãe, de 85 anos, que ajuda com a aposentadoria a cuidar dos outros 4 filhos. “Eu tenho 8 filhos, 4 foram morar com a minha mãe, ela cuida deles na casa dela. Minha mãe ajuda muito, somos todos unidos.

    Trabalho com faxina e ganho 15 reais por faxina, também sou acompanhante de pessoas idosas. Mas, ultimamente, não consigo trabalho e por esse motivo estou aqui pedindo ajuda, para sociedade, nem tanto por mim, mas pelos meus filhos. Eu me preocupo muito com eles, é triste para uma mãe ver os filhos passando por dificuldades e vivendo assim, nessas situações. ”

    A casa que Claudia vive com os outros 4 filhos é de lata, forrada com cartões e papelões. “Essa casa foi doada pelo meu vizinho. Eu cuidava da filha dele que estava doente. Eu era acompanhante dela e essa moça acabou falecendo. Como eu não tinha para onde ir, meu vizinho doou esse espaço para nós.

    A casa, eu e meus filhos forramos com papelões, pois o frio é muito forte e não temos cobertores. As roupas que temos são poucas e essa foi uma maneira que achamos para nos aquecermos e impedirmos que o vento entre dentro da casa. Preciso de ajuda, eu e meus filhos, com alimentos, cobertores, roupas e, se alguém tiver madeiras, utensílios de casa para doar, será tudo bem-vindo.”

    A falta de vestimenta e alimentação é uma das dificuldades que a família encara diariamente. “Dois filhos meus não querem mais frequentar a escola por não termos café da manhã e roupas de inverno. Meu filho gosta de tomar café de manhã, mas não temos pães e comida todos os dias. Mesmo assim, as crianças estão indo nas aulas e frequentando. Eles não têm roupas suficientes, sentem frio e usam as mesmas quase todos os dias e isso as vezes é motivo de graça para algumas pessoas. Mas, eu sempre aconselho e falo que um dia isso vai mudar, aconselho eles para que não deixem de estudar. Sou separada, tenho vontade de trabalhar, preciso de uma oportunidade de emprego para trabalhar e ajudar minha família”.

    A filha de 14 anos, Claudiane, em entrevista, pediu para leitores do jornal A Plateia doações de roupas para ela. “Eu preciso de roupas, eu sou uma menina estudiosa e frequento a escola. Mas não tenho roupas, eu só uso essa sempre! Eu queria pedir para todas as meninas da minha idade que tem roupas e que não estão usando e estiverem lendo o jornal ou para as mães dessas meninas, que separem um casaco bonito, quente, uma calça jeans ou qualquer outra roupa. É que eu não tenho e eu preciso! O meu número de calçado é 34-35 ou 35-36, qualquer um desses me serve. Tenho irmãos também, quem tiver roupa de menino, tenho um irmão de 8 anos e outro de 2 anos que também precisam. Precisamos de alimentos também, arroz, feijão, macarrão. Tem dias que temos bem pouca comida, não sei qual dos problemas é pior. ” desabafou.

    A casa é humilde, o chão e toda casa são forrados com papelões. Tem um quarto e cozinha, porém é muito bem organizada e limpa. “Nós cuidamos do pouco que temos, pois o que temos é isso e tentamos deixar sempre tudo organizado e limpo. Procuramos estar sempre unidos, é importante para que seguirmos e encararmos as dificuldades do dia a dia.” finalizou Claudia.

    Para interessados em ajudar essa família, com emprego, alimentos, roupas, cobertores e materiais de construção, entrar em contato pelo número (55) 9983-9084 e falar com Claudia. Para quem quiser ir até a residência, o endereço é: Rua João Saldanha 145, Bairro Tabatinga. Quem tiver interesse em deixar doações no jornal A Plateia, falar com Marthina.

    Marthina Martins| jessicamartins@jornalaplateia.com