Igreja abandonada no bairro Getúlio Vargas causa transtornos a moradores

    Qwerty Portal de Notícias

    Nossa reportagem recebeu na tarde de ontem (21), a denúncia de que uma igreja abandonada na travessa João de Deus de Mutti, cruzamento com a rua General Carneiro, no bairro Getúlio Vargas, estaria trazendo transtornos aos moradores vizinhos.

    O local, segundo eles, além de estar se deteriorando pelo tempo e pela falta de cuidados, se transformou em um depósito de lixo. Não bastasse isso, tem sido comum os moradores observarem a entrada de pessoas estranhas na casa, principalmente durante a noite. O mais grave na denúncia, é que dentre os invasores da igreja, estão menores (meninos e meninas) que, inclusive, de acordo com os denunciantes, estão fazendo uso de entorpecentes.

    Esta manhã, fomos até o endereço para verificar de perto o que está acontecendo. No local, encontramos dois pedreiros que disseram a nossa reportagem terem sido contratados pelo proprietário da igreja, Bispo Volmar. Eles disseram também que além de fechar alguns acessos com tijolos, irão colocar correntes em algumas portas para tentar evitar que as pessoas não entrem mais no imóvel.

    Os moradores acreditam que isso não será suficiente para terminar com o problema, pois as correntes podem ser cortadas e assim o acesso ficará livre novamente, acrescentando que “o proprietário só tomou providências depois da visita da Brigada Militar em conjunto com o Conselho Tutelar, pois antes disso tentaram diversas vezes contato com ele, sendo que nas últimas tentativas nem mesmo o telefone ele atendia mais”, relatou um dos denunciantes.

    O problema se tornou tão grande, que o Conselho Tutelar foi acionado para verificar as condições do local, principalmente por estar envolvendo menores de idade. Além disso, foi feita também uma denúncia na Secretaria da Saúde.

    Conversamos, na manhã desta sexta-feira (22), com o conselheiro Rodrigo Fontoura. Ele disse a nossa reportagem que realmente estive no local acompanhado da polícia e do proprietário, que se comprometeu a fechar o local – fato comprovado nesta manhã.

    Ainda conforme Rodrigo, “o Bispo Volmar tem a intenção de vender ou até mesmo de alugar as peças, mas que está tendo dificuldades devido ao valor”, acrescentando que prentende, inclusive, colocar uma placa de venda no local.

    O conselheiro disse também que alertou o proprietário para o risco de acontecer uma invasão e ele ter dificuldades de retomar o imóvel, visto que o mesmo está abandonado. Vale lembrar que no final de semana acompanhamos uma ocorrência de invasão a um terreno próximo a Cotrijuí. Neste caso, o local também estava sem ninguém, foi invadido por uma família e virou caso de polícia; onde somente o judiciário pode conceder reintegração de posse ao proprietário. Relembre

    Também nesta manhã, conversamos com o Bispo Volmar por telefone. Ele está em viagem, mas nos disse que “a primeira providência que tomou quando soube do caso foi fechar os acessos ao local, mas que na semana que vem irá tomar uma decisão definitiva sobre o imóvel”.

    Ele disse também, que “o local não está abandonado, pois até uns 15 dias atrás haviam pessoas morando ali”, acrescentando que acha um pouco exageradas as reclamações dos vizinhos, mas que eles podem ficar tranquilos, pois atitudes estão sendo tomadas.