Pedritense é campeão mundial de jiu-jitsu no Ibirapuera em São Paulo

    Antônio Pedro Dias

    O pedritense Antônio Pedro Dias, o Kapincho, tornou-se campeão mundial de Jiu-Jitsu faixa preta meio pesado no Campeonato Mundial de Jiu-Jitsul que acontece no Ginásio Mauro Pinheiro, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

    O feito de Antônio aconteceu ontem (15), quando ele venceu William Martins. Kapincho é um dos quatro atletas que representa o Jiu-Jitsu de Santa Maria. Eles fazem parte da equipe Drill BJJ. Para ele, a primeira luta foi a mais difícil da competição, pois foi contra um atleta de São Paulo multi campeão de judô.

    O Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu é chancelado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE), evento que reúne atletas de altíssimo nível técnico, de nível mirim à sênior 5. Da faixa branca à preta, e que se estende até o próximo domingo (17).

    Vale dizer que Antônio é destaque faixa preta e responsável pela Drill BJJ santa-mariense, e volta a competir após um período de mais de dois anos afastado por lesões. Em sua bagagem de conquistas, Kapincho já foi campeão gaúcho, campeão sul-brasileiro, campeão sul-americano, do Sul-Brasil Open, entres outras honrarias notáveis.

    Antônio disse a nossa reportagem, que “tenho uma academia em Dom Pedrito com meu sócio e aluno Alessandro Pinheiro, e gostaria de motivar a criançada e os jovens a prática do esporte pra criar outros valores importantes na vida”.

    Kapincho é natural de Dom Pedrito, filho de Fátima Severo de Leon Dias e Walter Silva Dias (falecido). Segundo ele, suas lutas ocorreram ontem (15), onde enfrentou cinco adversários para conquistar o título mundial, acrescentando que “não tomei nenhum ponto no evento inteiro e finalizei três lutas – inclusive a final – no estrangulamento pelas costas contra William Martins, aluno do Cicero Costa.

    “Este é o título mais importante da minha vida. Moro em Santa Maria desde o final dos anos 90. E gostaria de dizer que sozinho não somos nada, e que acreditar no seu sonho, não importa qual seja, e trabalhar duro – sempre com caráter e honestidade, sem passar por cima de ninguém – é fundamental pra ser um campeão”, disse Antônio.

    O atleta, que é professor em sua acadêmia, viu também sua aluna Melissa Cueto se tornar campeã mundial faixa roxa.