Tocha Olímpica passa por Caçapava do Sul e reúne mais de três mil pessoas

6/julho/2016 às 22h02min
 Atualizado quinta-feira, dia 7 de julho de 2016 às 01h50min

A reportagem da Qwerty Portal de Notícias acompanhou de perto a passagem da Tocha Olímpica pela cidade Caçapava do Sul, na manhã desta quarta-feira (6). A chegada do símbolo olímpico que parou a cidade aconteceu por volta das 10h, quando cerca de três mil pessoas, segundo a Brigada Militar, prestigiaram a chegada da tocha.

O início do percurso aconteceu na entrada principal da cidade, na Avenida Presidente Kennedy. Logo depois, o fogo olímpico percorreu as ruas Benjamin Constant, XV de Novembro, Ulhoa Cintra até chegar ao Forte Dom Pedro II, onde houveram apresentações artísticas do Grupo de Artes Nativas “Os Chimangos”. Após, outros grupos de dança de países como Argentina, França e Bolívia realizaram apresentações.

Os condutores da tocha foram: Ronaldo Mota da Silviera, Luciano Ferreira, Nicolas Neunfeld, João Albarnaz Neto, Alexandre Cerdeiro, Jianny Moreno, Leandro Azambuja, Deivid Forgiarini, Carles Dias, Terezinha Melo e Anderson Henriques.

Pedritenses trabalhando em Caçapava do Sul

A Brigada Militar de Dom Pedrito, através de suas guarnições de policiamento ostensivo e do Grupo de Operações Especiais (GOE), estiveram auxiliando na segurança do evento.

Nossa reportagem também encontrou um policial militar pedritense, que não reside em Dom Pedrito há mais de 20 anos. O sargento Júlio César Fonseca das Chagas faz parte do Comando Rodoviário da Brigada Militar, onde é um dos instrutores do Pelotão de Motociclistas.

Descontentamento…

A reportagem da Qwerty conversou com algumas pessoas que estavam assistindo a passagem da tocha pelas ruas de Caçapava do Sul. Joana Maria Rodriguez, dona de casa, disse não concordar e tratou o evento como um investimento desnecessário. “Acho que a Prefeitura deveria investir em outras áreas, como a nossa saúde, do que pagar um absurdo para a passagem da tocha”, manifestou.

Por outro lado…

Pessoas ligadas ao comércio afirmam que o movimento na cidade, mesmo que pouco, aumentou com a passagem do símbolo das Olimpíadas 2016. De acordo com o jovem Felipe Silva, o restaurante que ele trabalha acabou aumentando sua movimentação na terça (5) e quarta-feira (6), pois pessoas de cidades vizinhas foram até Caçapava para acompanhar a passagem do fogo olímpico.