Diretor de Departamento de Perícias do Interior busca locais em Bagé para instalar o IGP

    Francisco Bosco/FS

    Representantes do governo do Estado estiveram em Bagé, na tarde de ontem, para averiguar locais onde, futuramente, será instalado o Instituto Geral de Perícias (IGP). O prédio do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer), que em outras oportunidades surgiu como uma possibilidade, foi descartado ontem pelo diretor do Departamento de Perícia do Interior, Marco Antônio Cúrcio.

    O objetivo básico, desde o início das discussões, é extinguir do mapa situações em que familiares de vítimas de acidentes tenham que aguardar a vinda de técnicos de Sant’Ana do Livramento para a realização de uma perícia – o que leva horas -, para, somente depois, poderem velar os corpos.

    Cúrcio comenta que no local deve funcionar, entre os serviços, o posto médico legal e o posto de criminalística. “No concurso para o IGP, teremos duas vagas para Bagé. A ideia é que até esses profissionais, após o curso, já assumam com o prédio pronto”, salienta.

    O diretor explica que há, até o momento, duas possibilidades: “Um terreno na rua 20 de Setembro e outro na avenida Espanha, entre o antigo Posto da Brigada Militar e a Escola Estadual de Ensino Fundamental Félix Contreiras Rodrigues.

    Para isso, precisamos que um empresário deseje fazer uma permuta da área com o Estado e construa o prédio. No Daer, não há possibilidade porque além de ser de difícil acesso, o local está muito depredado. Precisamos de um espaço com acessibilidade”, completa.

    Conforme Cúrcio, Bagé, há poucos dias, ganhou do governo federal uma câmara fria para o necrotério. “Porém, não conseguimos montar, por não termos estrutura. Isso resolveria o problema de sepultamento de urgência. Muitas vezes com indigentes”, ressalta.

    Folha do Sul