Beneficiários do Bolsa Família passam por averiguação de cadastro

    Arquivo FS

    O Estado é o quinto colocado em número de pagamentos sob suspeita do Bolsa Família, atrás de outros quatro do Nordeste. A verificação do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) apura eventuais irregularidades nos cadastros de famílias beneficiadas. Em Bagé, dos mais de oito mil beneficiários, 980 estão sendo averiguados.

    Conforme o coordenador do Bolsa Família do município, Marcus Gularte, desde abril a Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (SMTAS) está em um processo de averiguação cadastral. “O governo Federal enviou um aviso para as 980 famílias, solicitando comparecer na Secretaria para atualização de dados. Nós também enviamos cartas pelo Correios para garantir que todos ficassem informados”, ressalta.

    Gularte comenta que o chamamento para averiguação foi porque houve cruzamento de dados. Ou seja, dados passados para o Cadastro Único (CadÚnico) não estão de acordo com os do governo Federal. “Cerca de 80% já compareceram para realizar atualização. Contudo, só teremos os resultados no próximo mês”, completa.

    Atualização
    A secretária da SMTAS, Andreia Quadros Rosa, explica que os cadastros e atualizações devem ser realizados no setor de entrevista e coleta de dados. “Esse cadastro não é somente para o Bolsa Família, mas sim para todos os programas de Trabalho e Assistência Social. Desde 2013 fizemos essa atualização anualmente. Não teve aumento significativo no último ano, mantemos uma média. Cabe ressaltar que, conseguimos beneficiar muitas famílias carentes. Em 2004, o programa tinha 2 632 beneficiários e hoje, estamos com 8 253”, enfatiza.

    Andreia contabiliza mais 16 mil cadastrados no CadÚnico. “Vale lembrar que as pessoas, ao receberem o programa e não atualizarem os dados a cada dois anos, terão o benefício cancelado automaticamente”, finaliza.

    Governo Federal
    O presidente em exercício Michel Temer e o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, anunciaram, ontem, um reajuste médio de 12,5% nos benefícios do Bolsa Família. O reajuste deve ser pago a partir de 17 de julho.

    O decreto do reajuste assinado por Temer prevê também aumento da linha de extrema pobreza, que passa de R$ 77 para R$ 85. Também aumenta a linha de pobreza, que sobe de R$ 154 para R$ 170.

    Folha do Sul