Jovem é assassinado com tiro na cabeça em Bagé

    Francisco Bosco

    “Um crime de difícil elucidação”, assim qualificou o titular da 2ª Delegacia de Polícia, Luís Eduardo Benites, responsável por investigar o assassinato de Aldo Leonardo Acosta Colares, de 18 anos, alvejado com um tiro na cabeça na manhã de ontem (28), por volta das 11h40, no bairro Habitar Brasil.

    Conforme agentes da Brigada Militar que atenderam a ocorrência, a vítima já foi encontrada morta quando eles chegaram ao local, no meio da rua Valter Conceição, em frente ao número 350.

    Benites, por sua vez, adiantou à reportagem que testemunhas já começaram a ser ouvidas tão logo o homicídio foi constatado. “Não temos ainda a autoria. Poderá ser mais de um suspeito. Até o momento, as informações que tivemos estão muito vagas”, frisou.
    Colares era morador do bairro Prado Velho e possuía algumas passagens pela polícia, como contou Benites.

    O jovem era acusado de homicídio e de porte ilegal de arma de fogo. “Ele estaria a pé, com alguns amigos, estamos investigando”, resumiu o delegado.

    Um homicídio por mês

    A morte de Colares foi registrada como o sexto homicídio do ano em Bagé. Ou seja, a Rainha da Fronteira tem, até o momento, uma média de um assassinato por mês. Até o fechamento da edição, a necropsia estava sendo realizada.

    Folha do Sul


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009