Projeto para execução do Shopping Bagé será apresentado em até 60 dias

    Francisco Bosco/FS

    A Câmara de Vereadores aprovou projeto do Executivo para isenção dos impostos ISS (sobre serviços) e IPTU (Predial e Territorial Urbano) pelo prazo máximo de cinco e 10 anos, respectivamente, para o Shopping Bagé. A reportagem conversou com o responsável pelo empreendimento, o sócio-proprietário do Conselho Shopping 4 Consultores, Jorge Silveira. Ele explicou que, agora, em 60 dias (no máximo) deve apresentar o projeto para execução. Após protocolado no Executivo, não é possível prever o prazo para sua aprovação.

    “Não temos controle. É algo técnico. O município verificará se o projeto para construção atende todas as necessidades, as exigências”, elucidou. Em São Paulo, exemplificou Silveira, um projeto de execução como esse chega a levar um ano para ser aprovado, sobretudo em decorrência da demanda. Também devido à complexidade. Em uma metrópole, é preciso estudar impactos, como por exemplo, o trânsito; o que, ponderou o profissional, não se aplica à Rainha da Fronteira. “Cada cidade tem suas regras”, acrescentou.

    A articulação com futuros investidores, neste período posterior, simplesmente para; justamente porque não é possível prever prazos. A pré-articulação já ocorreu, quando o projeto foi apresentado.

    Duas lojas âncoras estão com suas cartas de intenção assinadas. Também há conversas com supermercados – inclusive da região – e cinemas. Silveira admite que há preferência por empresas da região, sobretudo porque já conhecem o mercado.

    Após autorização para iniciar a obra, projetos complementares como o elétrico, hidráulico, de climatização e do telhado, por exemplo, são as próximas etapas. Silveira destacou que a conversa com os investidores prossegue quando o projeto para execução for aprovado. “Não posso correr o risco de desgastar o empreendimento. É preciso credibilidade”, afirmou. Ele elucidou que há, é claro, investidores diferenciados, como o proprietário do terreno onde a estrutura deve ser erguida, que já começou a terraplenagem da área.

    Entenda
    Em dezembro do ano passado a comunidade bageense foi surpreendida pela notícia de que um shopping deve ser construído próximo à Universidade Federal do Pampa. Silveira informou, durante a apresentação do projeto, que um shopping só é viável quando há empresas interessadas, investidores regionais e uma parceria com o Executivo local. Ele solicitou a isenção de impostos. Isso para que fosse possível “finalizar as contas” para apresentar aos investidores.

    Estrutura
    Durante o anúncio do empreendimento, Silveira havia apontado que, se as etapas transcorressem conforme o previsto, a construção do shopping começaria em meados de 2016, com previsão de conclusão em dois anos. Serão 25 mil metros quadrados (apenas térreo). Deve empregar, só durante a construção, dois mil trabalhadores. Quando pronto, 1,5 mil cidadãos. Ao todo, serão 119 lojas, um supermercado, cinema e praça de alimentação. O projeto prevê a ampliação da estrutura, de 119 para 220 lojas. A expansão, inclusive, deve ocorrer em direção ao estacionamento, que passará para outra área.

    Folha do Sul