Pedritense é preso em São Gonçalo do Amarante/RN por suspeita de participação em homicídio

    17/junho/2016 às 17h51min
     Atualizado sábado, dia 18 de junho de 2016 às 00h25min
    Divulgação/PC RN

    Uma investigação realizada pela Delegacia de Polícia Civil de São Gonçalo do Amarante, RN resultou na prisão de dois homens que são suspeitos de terem matado e queimado o corpo do serralheiro Otavio Alves de Lima Neto, 33 anos. O corpo da vítima foi encontrado no dia 08 de junho, por volta das 5h, em um terreno baldio do Conjunto Petrópolis, bairro Jardins, em São Gonçalo do Amarante.

    Os dois suspeitos pelo crime são Ricardo Bruno Lima de Souza, conhecido como “Nelori”, 33 anos, e o pedritense Antonio Carlos Menna de Ávila, conhecido como “Júnior”, 26 anos, ambos detidos em cumprimento a mandados de prisões temporárias que foram expedidos pela Justiça Criminal da Comarca de São Gonçalo do Amarante. Além das prisões, policiais civis cumpriram sete mandados de busca e apreensão.

    A vítima, Otávio Alves de Lima, e um dos suspeitos, Antônio Carlos Menna, moravam no mesmo apartamento, localizado no Conjunto Parque dos Coqueiros, bairro de Nossa Senhora da Apresentação, Natal. “Testemunhas nos relataram que durante a madrugada do crime, viram em frente ao condomínio da vítima um homem alto, forte, “barrigudo”, usando capacete na cabeça, com luvas e uma pistola em uma das mãos.

    Logo depois, gritos foram ouvidos vindo do apartamento de Otávio. Descobrimos que um veículo tipo Saveiro, de cor branca, entrou na garagem da casa da vítima. Por volta das 5h, do dia 08, o corpo aparece em um terreno baldio, mutilado com golpes de faca e queimado”, contou o delegado da DP de São Gonçalo do Amarante, Raimundo Rolim. De acordo com o delegado, a motivação para o crime pode ter relação com dívidas existentes entre a vítima e os suspeitos.

    Na quarta-feira (15), os policiais apreenderam com Ricardo Bruno um veículo FIAT/STRADA, cor branca; dois capacetes e duas munições calibres .40 e .380 e um canivete com lâmina de 10 centímetros, que foi reconhecido por parentes da vítima como pertencente a Otávio Neto.

    O Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) realizou perícia no apartamento da vítima e encontrou vários vestígios de sangue humano na sala, cozinha e quarto de Otávio. “Os peritos recolheram duas camisas polo queimadas no quintal da casa, que podem ter sido utilizadas para a limpeza do sangue na sala/cozinha. As peças de roupas já foram reconhecidas pela família da vítima como sendo de Otávio Neto”, detalhou o delegado Raimundo Rolim.

    Fonte: Jornal de Fato – Mossoró – RN

    Clique aqui e veja o vídeo: http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2016/06/policia-elucida-caso-de-homem-que-foi-morto-e-teve-corpo-queimado-no-rn.html