Projeto ‘Roda de Conversa’ da Aspedef atingiu 19 escolas

    16/junho/2016 às 15h05min
     Atualizado quinta-feira, dia 16 de junho de 2016 às 16h16min
    (Foto: Divulgação/Aspedef)

    Ocorreu nos meses de abril e maio, o projeto “Roda de Conversa nas Escolas”, da Associação Pedritense do Deficiente Físico (Aspedef). Ele visa divulgar nas escolas o trabalho desenvolvido pela entidade e atendimentos ofertados, com foco principal para alunos de 7º a 9º anos.

    Voluntária na Aspedef e integrante do projeto, Zaira Xavier, juntamente com o deficiente visual Carlos Cardoso e as cadeirantes Janete Rosa e Isabel Moraes, diz que o objetivo da instituição foi alcançado ao fim dessa etapa do projeto.

    “Fomos contar a história da Aspedef, pedir apoio, respeito, amor, carinho e consideração com o deficiente físico; e acho que tocamos o coração dos alunos. Dessa forma, as pessoas portadoras de deficiência passam a ter uma qualidade melhor de vida. Os jovens precisam enxergar esse outro lado da vida. Valeu a pena, fomos bem recebidos”, diz Zaira.

    Já Marcelo Munhós, presidente da Aspedef, destacou a importância do projeto para a intensificação da necessidade de inclusão. “A ideia é que crianças e jovens tenham contato direto com pessoas portadoras de deficiência, o qual mostram que a vida segue, que há uma instituição que os apoia. Esse projeto faz com que o processo de inclusão – tão paralisado no passado – comece a pegar atalhos para recompor o tempo perdido. Certamente ganhamos aliados que vão lutar pela mesma causa”, destaca.

    Durante os encontros, os estudantes puderam conhecer um pouco da história de usuários da Aspedef e como é possível superar as dificuldades.

    Dois usuários a relatar suas histórias foram Carlos Cardoso – conhecido carinhosamente por Carlinhos, deficiente visual e funcionário público municipal há 25 anos e a cadeirante Janete Rosa, que após os 30 anos descobriu sofrer de uma doença degenerativa.

    Aspedef