Jocemar da Rosa Gularte é condenado a 18 anos de prisão por homicídio

    Foi julgado ontem (30), pelo Tribunal do Júri da Comarca de Dom Pedrito, Jocemar da Rosa Gularte, de 32 anos. O réu foi condenado a 18 anos de prisão em regime inicialmente fechado pelo homicídio de Luciano Soares Barreto, ocorrido em abril de 2004 no bairro São Gregório.

    Na ocasião, o denunciado Jocemar, em companhia de um menor, após já ter agredido a vítima a chutes e pontapés, desferiu golpes de faca (não apreendida) e pedradas em Luciano, ocasionando-lhe diversas lesões.

    De acordo com o processo, o crime teria sido motivado simplesmente pelo fato de a vítima, momentos antes, ter importunado o irmão mais novo do denunciado, que utilizou-se de meio cruel para matar Luciano, vez que esta agonizou por um longo período após ter sido agredida na cabeça com pedras com peso superior a 22 Kg.

    O denunciado agiu também de forma a impossibilitar a defesa da vítima pois, aproveitando-se da circunstância desta encontrar-se embriagada, agrediu-a armado de faca e munido de inúmeras pedras; as quais foram utilizadas quando aquela já se encontrava caída ao solo, sem a possibilidade de esboçar qualquer ato de defesa.

    Na época, inicialmente, a autoria chegou a ser atribuída ao menor que estava junto, mas Polícia Civil desvendou o caso e provou que o autor havia sido Jocemar.

    O acusado recentemente esteve envolvido em outro homicídio, também ocorrido
    no bairro São Gregório. O fato aconteceu no dia 28 de fevereiro e resultou na morte de Adalberto Borges Chagas, de 27 anos.

    Relembre o caso

    No domingo (28), por volta das 15h, foi morto a facadas na rua Alan Kardec, Adalberto Borges Chagas, de 27 anos. Os suspeitos de terem cometido o crime foram Marcelo Santiago Veiga, 19 anos, e Jocemar da Rosa Gularte, 32 anos.

    De acordo com o inspetor Patrício Antunes, Adalberto e Jocemar se desentenderam na Praça do bairro Santa Terezinha, onde Adalberto levou o primeiro corte. Já na rua Alan Kardec, esquina com a rua 14 de Julho, o desentendimento de Adalberto foi com Marcelo.

    Durante a briga, ambos acabaram cortados; sendo que Marcelo levou um profundo corte no braço e outro no rosto. Adalberto ficou com outros diversos cortes pelo corpo. Ele ainda tentou fugir, mas caiu já em óbito em via pública.

    Ainda segundo Patrício, a briga foi motivada porque houve um desacordo no momento em que Adalberto comprou drogas de Jocemar e Marcelo. Após o crime, Jocemar fugiu, mas foi preso pela Polícia Civil. Já Marcelo foi removido à cidade de Bagé em estado grave e está preso sob custódia da Brigada Militar.

    Ambos serão indiciados por homicídio e tráfico de drogas já que, durante as buscas, os policiais encontraram drogas com Jocemar. A casa deste último já foi alvo de operações policiais quando ele estava sendo investigado por tráfico de drogas. O Instituto Geral de Perícias de Santana do Livramento fez levantamento fotográfico e realizou perícia no local do crime.