Representantes da Escola Bernardino Ângelo protestam na Praça General Osório

    (Fotos: Elliézer Garcez)

    Professores, funcionários e alunos da Escola Bernardino Ângelo reivindicaram seus direitos no calçadão da Praça General Osório. Eles alegam que os  repasses de verbas para a escola tem diminuído constantemente. “Desde que assumimos a direção, eles (governo do Estado) têm reduzido e atrasado o repasse de verbas”, explica Fabia­na Cassol, diretora da instituição. Na escola, muitos professores aderiram à greve, mas alguns ainda não paralisaram e continuam suas atividades normalmente.

    A greve ainda não é uma realidade no município. As escolas ainda estão em aula, sendo algumas em período reduzido. O núcleo local do Cpers – Sindicato, está realizando visitas às escolas para expôr os motivos da greve. A professora Claire Maria Amaral espera que outras escolas venham a aderir a greve pois, segundo ela, a união é essencial para que o movimento obtenha êxito. Na manhã de sexta-feira (20), às 8h30, haverá reunião do núcleo do Cpers com a equipe diretiva da Escola Estadual de Ensino Médio Nossa Senhora do Patrocínio. Alunos também estão convidados a acompanhar a reunião.