Reivindicação

    Funcionários terceirizados da Unipampa protestam em Bagé

    13/maio/2016 às 23h25min
     Atualizado sexta-feira, dia 13 de maio de 2016 às 23h34min

    Na tarde de ontem (12), enquanto a equipe da Qwerty Portal de Notícias visitava a cidade de Bagé em busca de novas parcerias, flagramos uma manifestação de um grupo de trabalhadores terceirizados da Universidade Federal do Pampa. Devido ao pouco tempo que tínhamos para verificar o que estava ocorrendo, buscamos as informações com os colegas do Jornal Folha do Sul.

    De acordo com as informações colhidas pelo jornal, os funcionários cobram do governo federal o repasse de recursos para o pagamento dos salários. Cerca de 300 funcionários, entre vigilantes, porteiros e motoristas estão com os vencimentos referentes ao mês de abril em atraso. Cerca de 30 pessoas participaram do ato, que teve início por volta de 13h, no campus da Unipampa, e, após, o grupo se deslocou até a frente do prédio da reitoria da universidade, no centro da cidade.

    O vigilante Júlio Fialho esclarece que a cobrança não é direcionada para a universidade. “Sabemos que a responsabilidade pelo repasse dos recursos é do governo federal”, elucida. Fialho conta que cerca de 100 vigilantes atuam na instituição. “Não queremos paralisar, pois sabemos da importância do serviço para a universidade”, afirma.

    O vigilante conta que a situação se repete desde o mês de fevereiro. “As empresas vinham pagando nossos salários com recursos próprios, só que agora isso se esgotou”, pondera. O pró-reitor de gestão de pessoas da universidade, César Techemayer, e o pró-reitor de assuntos estudantis, Sandro Burgo, conversaram com o grupo.

    Techemayer explica que, justamente durante a manifestação, estava ocorrendo uma reunião do conselho gestor da instituição. “Estamos discutindo o orçamento, pois o governo federal
    está fazendo alterações e esse contingenciamento está causando esse tipo de problema”, informa. O pró-reitor também informou que a instituição irá se pronunciar oficialmente sobre o tema hoje.

    Folha do Sul