Rottweiler causa pânico em moradores da Rua Bezerra de Menezes

    No início da tarde de hoje (10), por volta das 13h, recebemos uma ligação de moradores do bairro Cohab denunciando que um menino identificado como Carlos Alves Rangel, de 12 anos, havia acabado de ser atacado por um cão da raça Rottweiler. Segundo eles, o cachorro pertence a Maurilio Torres, que reside na rua Bezerra de Menezes, esquina com a rua Leopoldino Dutra Sobrinho.

    De acordo com relatos, o proprietário do animal o deixa constantemente solto andando pela rua, mesmo sabendo que ele é perigoso e que já atacou diversas pessoas da quadra e arredores. Alguns relatos dizem ainda que muitos cães já foram mortos pelo Rottweiler.

    De acordo com Dulce Lenara Alves, seu filho estava indo para a Escola Heloisa Louzada quando foi atacado pelo cachorro. Felizmente, ele conseguiu se esquivar e fugir do local. Uma testemunha que passava pela rua onde ocorreu o ataque escutou o menino pedindo socorro e o ajudou. Carlos sofreu apenas arranhões causados pelo animal.

    A Brigada Militar foi chamada para atender à ocorrência e orientou os vizinhos à realizar um registro na Delegacia de Polícia e um exame de corpo de delito.

    Durante à ocorrência, alguns moradores mais exaltados manifestaram a vontade de sacrificar o animal.

    Devemos salientar que, embora seja um cão perigoso, é importante que as pessoas entendam que estamos falando de um ser irracional e que não tem culpa da atitude do seu dono, que é o verdadeiro responsável pelo que ele possa fazer ou a ameaça que possa representar para as pessoas.

    Tentamos um contato com o proprietário do animal, mas seu telefone estava desligado. Deixamos um espaço aberto caso ele queira se manifestar.

    A versão dos proprietários do Rottweiler:

    Recebemos agora à noite, o relato da proprietária Francielle Deiques. Ela disse à nossa reportagem, que “a  Raika é adestrada e está com a família desde filhote. Levamos ela para um outro local, onde possui um pátio enorme, mas queremos dizer que estamos indignados com isso. Meu filho que hoje tem 7 anos, foi criado com eles porque eram três mas o casal mais velho faleceu, e sobrou apenas ela”.

    Francielle disse ainda que “ela nunca mordeu meu filho, nem se quer rosnou para ele”, acreditando que o fato tenha ocorrido porque alguns vizinhos não gostam deles e nem dos animais, mas que em compensação existem outros como a Kátia Monteiro que inclusive cuida dela.

    Ela finalizou a entrevista agradecendo a oportunidade de se manifestar, o que já havíamos dito que era um direito deles e um dever do portal, pois quando uma notícia envolve dois lados é importante que ambos tenham o mesmo espaço.