Mãos Calejadas

    Luís sustenta a família com trabalho de engraxate há mais de 40 anos em Livramento

    1/maio/2016 às 18h16min
     Atualizado domingo, dia 1 de maio de 2016 às 18h29min
    Elis Regina/AP

    Luiz Alberto Correa Benit, 55 anos de idade, trabalha nas ruas há 42, estes como engraxate. Ele é figura conhecida em Rivera e passa dias pela Avenida Sarandi, onde com a sua caixa de engraxate trabalha, faça frio ou faça sol.

    Em uma conversa animada, Luiz contou que ganhou a sua primeira caixa de engraxate de uma professora da escola que ainda hoje mora na cidade. Com o seu trabalho, ele disse que nunca ficou um dia sem comer ou dar sustento para a sua família.

    “Trabalho nas ruas e todo dia faço a média de R$ 50,00. Poderia ser melhor, mas para mim está muito bom. Vejo pessoas desempregadas e sem perspectiva, e sou feliz com o meu trabalho”, disse.

    Luís é o típico cidadão que não anseia grandes coisas, riquezas ou status, mas já conseguiu muito na vida pela sua dedicação, trabalho e esforço. Dos anos que morou em Montevidéu, ele disse que também trabalhou como garçom, mas nunca esteve tão bem como quando trabalhava como
    engraxate nas ruas.

    Ele disse que se ganha muito mais assim. Luís faz o trabalho rápido e caprichoso e foi assim que ele ganhou o apreço por grandes empresários no seu trabalho aparentemente simples. Empresários dos free shops, estancieiros, casas de família, hotéis e tantos outros lugares estão na agenda desse trabalhador.

    Luís é um homem simples e brinca dizendo que ele poderia ser barrado em qualquer portaria, mas foram justamente as mãos calejadas e sujas que lhes abriram portas para mais clientes: “as pessoas vem o meu trabalho e gostam. Todos querem andar com os sapatos brilhando, renovados e sei fazer isso. Eu tenho cliente de anos, pessoas que ainda preferem engraxar o sapato à moda tradicional”, disse.

    Luís tem orgulho dos filhos, um casal que mora agora na capital com a sua primeira esposa e suas palavras não foram apenas de um trabalhador, mas de um pai de família que sabe a importância do zelo pelo trabalho e do esforço. A despedida de Luís foi para atender outro cliente e foi-se, misturado entre a multidão, um homem simples e distinto de mãos calejadas do trabalho.

    Elis Regina|Jornal A Plateia