Perdas na agricultura do RS passam de R$ 500 mi devido ao mau tempo

    27/abril/2016 às 18h15min
     Atualizado quarta-feira, dia 27 de abril de 2016 às 17h43min
    (Foto: Gilmar de Souza /Agencia RBS)

    O excesso de chuva já prejudica a agricultura no Rio Grande do Sul. Entre as culturas mais afetadas estão soja, arroz, milho e mesmo a pecuária, como bovinos de corte e leite. Balanço apresentado nesta quarta-feira (27) pela Emater calcula em R$ 506 milhões as perdas em 19 municípios da Zona Sul do Estado – como Jaguarão, Cerrito, Rio Grande e Pelotas.

    A situação mais grave é de Santa Vitória do Palmar, com R$ 94 milhões em perdas, especialmente no arroz.

    “Não tenho dúvida nenhuma que a situação vai piorar muito, com prejuízos no futuro. Não haverá geração de ICMS, não vai movimentar a economia, o comércio será afetado em todos municípios”, afirma o prefeito de Morro Redondo, Rui Brizolara, presidente da Associação dos Municípios da Zona Sul.

    Uma comitiva de prefeitos da região veio hoje a Porto Alegre para reunião com a Secretaria Estadual da Agricultura e bancos. Os municípios pedem apoio financeiro para contornar a crise, classificada como calamitosa pelo secretário da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo.

    “Estamos articulando ações para que o Estado possa minimizar essa situação. Buscamos efetivar os repasses para educação e saúde a esses municípios, que se encontram em situação dramática. As perdas são de grande monta”, diz Polo.

    E o mau tempo ainda castiga o interior do Estado. Conforme balanço da Defesa Civil, 11 municípios já encaminharam documentação solicitando homologação de decreto de emergência.

    Nesta manhã, entraram na relação os municípios de Aceguá, Cerrito, Chuí e Dom Pedrito. No total, 138 famílias estão fora de casa em todo o Rio Grande do Sul. Além disso, já encaminharam documentação: Arroio Grande, Bagé, Candiota, Canguçu, Herval, Rosário do Sul e São Francisco de Assis.

    Gaúcha