Ibama e Seapi embargam lavouras de soja por uso de agrotóxico proibido em Dom Pedrito

    25/abril/2016 às 09h10min
     Atualizado segunda-feira, dia 25 de abril de 2016 às 09h10min

    Trinta e cinco hectares de duas lavouras de soja, de Dom Pedrito, foram embargadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pela Secretaria Estadual da Agricultura (Seapi) devido ao uso de agrotóxicos não permitidos.

    Segundo o chefe do Escritório Regional, o analista ambiental Rodrigo Dutra da Silva, exames laboratoriais em plantas de soja foram feitos no Laboratório de Análise de Resíduos de Pesticidas (LARP) da UFSM, após a mortandade de peixes ocorrida em barragem vizinha, no final do mês de fevereiro, a estas duas lavouras.

    Silva destaca que nos exames haviam os princípios ativos Atrazina (herbicida), não liberado para a cultura da soja, e o Carbofurano (inseticida), proibido no Rio Grande do Sul. “Ambos foram encontrados nas plantas e cada produtor rural foi multado em R$ 25 mil”, explicou.

    A Seapi interditou a comercialização da soja até que se comprove a ausência das substâncias nos grãos. Para tanto, a colheita será acompanhada. Já o Ibama embargou as áreas até que se comprove a descontaminação do solo pelos mesmos princípios ativos.
    “Este mau uso de agrotóxicos pode ter contribuído para a morte dos peixes no fim de fevereiro, mas a investigação sobre esta poluição ainda está em curso”, completou o chefe do escritório regional.

    A fiscalização faz parte de ações conjuntas da Comissão de Fiscalização do Fórum Gaúcho de Combate ao Impacto dos Agrotóxicos (FGCIA) coordenado pelo Ministério Público.

    Jornal Folha do Sul