Violência

Homem é preso por agredir ex-namorada e tentar matar porteiro de clube

24/abril/2016 às 19h46min
 Atualizado domingo, dia 24 de abril de 2016 às 23h15min

Na tarde deste domingo (24), a Polícia Civil, com o apoio da Brigada Militar, prendeu José Ernesto da Silva Peçanha Filho, 20 anos, após ter sido expedido mandado de prisão preventiva pela Comarca Local, em razão de ameaças e disparo de arma de fogo em direção ao porteiro de um clube onde se encontrava sua ex-namorada.

De acordo com o inspetor de Polícia Patrício Antunes “no sábado (16), o acusado agrediu a ex-namorada num baile e várias pessoas testemunharam a agressão. Depois, ele tirou a vítima para fora do clube – sempre agredindo-a – e levou-a para sua casa à força. No local, ele desferiu diversas facadas pelo corpo da vítima”.

Ainda segundo Patrício, “durante a semana, ele ficou perseguindo e perturbando a vítima, inclusive ameaçando-a de morte, pois haviam terminado o namoro. E na noite de ontem (23), ela novamente foi ao clube e o suspeito se dirigiu até o local, mas foi impedido de entrar pelos seguranças, pois lembravam do fato ocorrido na semana anterior”.

De acordo com o inspetor, revoltado, José Ernesto discutiu com os seguranças, saiu e voltou armado, desferindo um tiro contra o porteiro do baile, mas por sorte acabou errando. Patrício acredita que “o intuito dele era entrar e atirar contra a ex-namorada”, acrescentando que tão logo a polícia foi informada deste fato, a plantonista ligou para o setor de Investigação da Delegacia de Polícia, e que imediatamente começaram as diligências para apurar o ocorrido, destacando que foram ouvidas testemunhas e seguranças do clube.

Após, foi feito contato com a delegada Carem Adriana da Silva Nascimento, que representou pela prisão preventiva e mandado de busca, em face das informações que a polícia já havia obtido. O Poder Judiciário decretou sua prisão e o mandado de busca na residência do suspeito. Durante as diligências desta tarde, além da prisão de José Ernesto, foi localizada a pistola utilizada no momento do crime. A arma teria sido adulterada para calibre 22.

Segundo a vítima, o casal está separado há cerca de três meses e o acusado não aceita a separação. Contou também que no baile do dia 16 de abril, ele lhe pegou pelos cabelos e desferiu chute na perna direita. Depois a levou para sua casa com o uso de uma faca em seu pescoço e nas costelas, onde ficaram marcas na vítima. Ainda de acordo com a jovem, ele teria dito que iria matá-la e depois se suicidar.