Aumento no valor dos medicamentos começa a ser notado pelos consumidores

    Na semana seguinte à autorização do Governo Federal para o ajuste no valor dos medicamentos, o consumidor começa a sentir os efeitos do aumento, que pode chegar a 12,5%

    Na última sexta-feira (1º), o Governo Federal autorizou a indústria farmacêutica a ajustar o preço dos medicamentos, em até 12,5%. Cerca de 19 mil medicamentos terão seus preços ajustados. No entanto, o ajuste não é automático e as farmácias tem autonomia para realizar as mudanças nos valores gradativamente.
    Em Sant’Ana do Livramento, as farmácias estão repassando os valores ajustados aos poucos. Segundo Marcelo Ocaña, gerente comercial da Farmácia Panvel, os ajustes foram realizados em pelo menos 70% dos medicamentos da loja. Marcelo explica que a mudança é significativa: “Nunca teve um valor tão alto, geralmente os ajustes ocorriam entre 6 e 7%, sem contar que já é o terceiro ajuste do ano. Mas as vendas não caem, até porque as pessoas não tem muita escolha”, comenta o gerente. Contudo, o gerente afirma que o ajuste deve atingir a maioria dos medicamentos.
    Na Farmácia São João, o farmacêutico Adrian Ferraro e o gestor Jorge Trindade, explicam que 40% dos medicamentos já foram ajustados. Segundo eles, a expectativa é de que dentro de 45 dias, todos os medicamentos da rede sofram o ajuste autorizado pelo Governo. Enquanto isso, a Farmácia Mais Econômica ainda não ajustou os valores dos medicamentos, no entanto, a rede promete repassar os ajustes em breve, sem aviso prévio aos clientes.

    A opinião dos consumidores

    Na tarde chuvosa desta segunda-feira (4) a reportagem de A Plateia visitou algumas das principais farmácias da cidade. Mesmo com o aumento do preço dos medicamentos, a movimentação era intensa na maioria das farmácias. Apesar dos repasses gradativos, o consumidor já começa a perceber o aumento. É o que observa a aposentada Perla Dutra, de 68 anos: “Os remédios de uso contínuo eu consigo na Farmácia Popular e pago a diferença de alguns. Eu tenho prótese no joelho, tomo remédio para dor e anti-inflamatórios e gasto numa base de 80 a 100 reais com esses remédios. Com o aumento vai ser um sufoco!”, conta a aposentada.

    “Já deu pra sentir a diferença, mesmo com o desconto” – nos conta a aposentada Eva Severo, que mesmo utilizando os descontos oferecidos pela Farmácia Popular e sem utilizar medicamentos contínuos, contou-nos que notou a diferença de valor nas últimas compras.

    Procon alerta consumidores

    Assim que o ajuste foi autorizado, o Procon de Porto Alegre prestou orientações aos consumidores sobre as condições dos remédios com preços mais baixos, como observação da data de validade, além de dicas de como economizar.

    O coordenador municipal de Defesa do Consumidor (COMDECON) de Sant’Ana do Livramento, Valmor Castro Souza, informou à reportagem que não foram registrados casos de reclamações sobre preços abusivos e que, por isso, ainda não estão sendo fornecidas orientações ao consumidor.

    Farmácia Popular é alternativa

    Subsidiada pelo Governo Federal, a Farmácia Popular fornece medicamentos gratuitos ou com desconto, que pode chegar a 90%. Por ser um órgão ligado ao Governo Federal, a Farmácia não oferece ajuste no valor dos seus medicamentos. Através da Farmácia Popular, podem ser retirados gratuitamente remédios para diversos tratamentos, de doenças como hipertensão, diabetes e asma, mediante receita médica.

    A Farmácia Popular está localizada na Rua Rivadávia Correa, 492.

    Dicas de economia:

    – Compare os valores dos medicamentos em diferentes farmácias.

    – Com autorização médica, opte por medicamentos genéricos, com o mesmo princípio ativo.
    – Consulte com seu médico se o seu medicamento possui desconto do laboratório.
    – Confira se o seu medicamento está disponível na Farmácia Popular.

    Jéssica Ribeiro | A Plateia