Dom Pedrito se ressente da falta de agentes de saúde

    56e2d138.jpg

    O município de Dom Pedrito tem, atualmente, 31 agentes comunitários de saúde; mas 5 deles não estão desempenhando suas funções, por estarem em fase de 'readaptação' – tratando-se de servidores que, por algum motivo, em princípio de saúde, estão no desempenho de outras atividades, também no poder público. Assim, são 26 agentes efetivamente atuando quando, na avaliação do secretário municipal de Saúde, Raul Zanolete, seriam necessários 40 agentes para que toda a cidade fosse coberta pelo PACs (Programa dos Agentes Comunitários de Saúde).

    E não existe qualquer expectativa sobre esse número de agentes vir a aumentar, a curto prazo, pelo fato de que o concurso público que está sendo realizado pela prefeitura não prevê vagas para esse cargo.

    Em função de tudo isto, existem várias micro áreas de bairros e vilas da cidade que não possuem cobertura de agentes de saúde. Por exemplo: parte da Vila Argeni Jardim é atendida por uma agente, enquanto que outra parte não.

    Procurado para falar a respeito, o secretário municipal de Saúde, informa que pretende compensar o problema colocando nas ruas uma unidade móvel de saúde, composta de um técnico em enfermagem, um enfermeiro, um agente de saúde e um médico.

    "Colocaremos essa unidade a percorrer as áreas da cidade que não são atendidas pelo PAC, estamos só esperando a chegada do novo médico, que atenderá pelo Provab (Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica), e ele deverá se apresentar até o dia 15 de março. Essa unidade móvel já estará prestando serviços ainda este mês", garante o secretário. 

    Por: Silvio Bermann
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br