Os últimos dois réus do processo foram interrogados no início da tarde

    56df401d.jpg

    Na tarde de hoje (08), por volta das 14h, o interrogatório dos dois últimos réus do caso Mérsinho foram ouvidos. Neste momento, defesa e acusação estão debatendo o caso. Veja os principais trechos de cada depoimento:

    Rogério Motta foi o terceiro réu a depor no dia de hoje:

    O acusado negou ter agredido a vítima, acrescentando que "vi um monte de gente em direção ao cara (Mersinho), mas não vi quem estava tentando agredir".

    Motta pareceu lembrar muito pouco do dia em que ocorreu o crime, mas lembra que a vítima fazia provocações, e acredita que Mersinho estava embriagado. O acusado disse também que foi agredido pelas costas, mas que não sabe quem foi.

    "Eu até nem sei por que eu fui preso doutor. Os policiais debochavam de nós na delegacia. Foi humilhante. Eu não fiz nada", diz Motta. O réu falou também de sua vida no Exército, quando esteve na Angola em uma missão de paz.

    O último réu a depor foi Tiago Ojeda Rockembach:

    Tiago afirma que a única pessoa que ele viu agredindo a vítima foi Edmar, e que ele não está entre os réus acusados de homicídio, pois foi indiciado por lesão corporal seguida de morte.

    Ele disse também que Edmar deu de dois a três golpes de capacetes contra a vítima. "O Mersinho veio cambaleando em minha direção e eu lhe empurrei e depois disso ele tomou uma voadora e caiu. Eu me afastei e saí".

    "Conheço os réus, mas nunca tive amizade com nenhum deles", revela Tiago, acrescentando que "Eram de cinco a oito pessoas agredindo a vítima. O tumulto era grande, e eu não consegui precisar quem eram os agressores".

    A Qwerty Portal de Notícias estará divulgando tudo o que acontecer durante o júri através do Twitter, no endereço twitter.com/qwertyportal e também no Snapchat – qwertynoticias.

    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009