Ex-delegada de Dom Pedrito comanda operação de combate à exploração sexual

    56d094c0.jpg

    A Polícia Civil cumpriu, na manhã desta sexta-feira (26), cinco mandados de busca em uma operação que investiga crimes de estupro e de exploração sexual.

    O principal alvo da ação é um ex-vereador de Glorinha, dono de três motéis em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Cerca de 30 agentes participaram da ação. A ex-delegada de Dom Pedrito, Marina Machado Dillenburg, hoje titular da Delegacia da Mulher de Gravataí, é a responsável pelo caso e coordenou toda a operação.

    De acordo com o G1, o empresário é investigado por pagar uma quantia mensal à mãe e ao padrasto de uma adolescente de 16 anos em troca de programas sexuais com a menor nos motéis de sua propriedade. Os responsáveis pela jovem também são alvos da ação. O ex-vereador é investigado por estupro de vulnerável e exploração sexual, enquanto a mãe e o padrasto são suspeitos de exploração.

    Os mandados foram cumpridos nas casas dos suspeitos, nos motéis e em uma empresa. Um computador e um celular foram apreendidos. Marina relatou que exames comprovaram os abusos na menor. Entretanto, apesar das provas coletadas pela polícia, a Justiça negou os pedidos de prisão contra os três.

    O caso foi descoberto após a adolescente fugir da casa da mãe e ir morar com o pai. No último mês de novembro, ele registrou ocorrência na Delegacia da Mulher. No depoimento à polícia, a menor disse que era forçada a ingerir bebidas alcoólicas nos programas. Ela relatou, também, que recebia ameças de morte para não denunciar os abusos, que ocorriam há cerca de um ano.

    "A partir daí e do depoimento de algumas testemunhas que trabalhavam nos estabelecimentos comerciais desse senhor, a gente soube que existe uma circulação de crianças e adolescentes nesses estabelecimentos", completou a delegada.

    A delegada Marina afirma que o suspeito já negociava com o casal programas sexuais com a irmã da adolescente, de 11 anos. A polícia apura ainda denúncias de outras menores de idade que seriam exploradas nos motéis do empresário, que não teve o nome divulgado. O homem foi levado a uma delegacia par prestar depoimento.

    Fonte: G1
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br