Por equilíbrio nas contas, Piratini estuda exonerar concursados

    56c473a6.jpg

    No primeiro encontro deste ano entre o governador e sua base parlamentar, José Ivo Sartori (PMDB) anunciou que o governo poderá optar por exonerar servidores concursados para adaptar as despesas com pessoal à receita do Estado. Em janeiro, o Rio Grande do Sul foi notificado pelo Ministério da Fazenda por ter extrapolado o limite de 49%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

    “Se o Estado não alcançar, nos próximos oito meses, o equilíbrio entre a receita e a folha de pagamento, servidores concursados poderão ser exonerados”, relatou o deputado Ênio Bacci (PDT). “Isso é complicado, muito complicado. Temos é que fazer um grande esforço pela renegociação da dívida com a União para viabilizarmos as contratações necessárias”, completou Elton Weber (PSB).

    Na reunião, que durou quase três horas, deputados dos partidos aliados também ouviram relatos sobre a economia feita pelo governo, em palestra do secretariado. “Ouvimos sobre a estratégia para discutir a dívida com a União e alguns projetos do Executivo”, comentou Frederico Antunes (PP), sem dar detalhes.

    O secretário de Comunicação do governo do Estado, Cleber Benvegnú, garante que não foi apresentado na reunião qualquer estudo prevendo corte de concursados. Segundo ele, apenas foi apresentado no encontro os mecanismos relativos à Lei de Responsabilidade Fiscal, visto que o Estado está chegando ao limite prudencial.

    Fonte: Correio do Povo
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br