Dom Pedrito – Denúncia: doações feitas pela comunidade para desabrigados da enchente vão parar no lixão

    56537f30.jpg

    Na manhã desta segunda-feira (23), o programa Primeiro Jornal da Rádio Upacaraí recebeu a informação de que doações (roupas, sapatos, entre outros materiais) teriam sido descartadas na empresa Ansus, responsável pela coleta e distribuição do lixo recolhido na cidade. De imediato, entramos em contato com a emissora para sabermos mais informações e iniciamos uma investigação para sabermos se existiam provas do fato.

    Durante esse período, nossa reportagem acabou tendo acesso a um vídeo que comprovou as denúncias. Nele consta um caminhão da Secretaria de Obras chegando ao depósito da Ansus e despejando diversos sacos e caixas, oriundos das doações feitas pela comunidade, informação esta comprovada por uma pessoa que narrou o vídeo.

    Além disso, também fomos informados por outras fontes de que o fato teria acontecido na quarta (18) e quinta-feira (19). Nesses dois dias foram feitos três transportes das doações; sendo um no primeiro dia e dois no segundo. Ainda de acordo com informações, algumas roupas continham inclusive etiquetas de lojas. Segundo as denúncias, as roupas estariam em boas condições de uso.

    De posse do vídeo, procuramos a empresa Ansus para obtermos mais informações. A gerente da empresa, Liziane Gomes, reconheceu que os caminhões estiveram lá, mas desconhecia o material que estava sendo descartado; até porque, segundo ela, não é uma função da empresa vasculhar o material que é descarregado no depósito. “Fica difícil nós falarmos sobre o assunto, pois somos uma empresa terceirizada pelo município”, declarou. 

    Também estivemos na Secretaria Municipal de Obras e Viação, onde conversamos com o secretário Marco Antônio Piriz. Ele disse que, “o caminhão foi solicitado por uma servidora da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMTAS), para transportar roupas e sapatos que já não tinham mais condições de uso”, acrescentando que esteve no local e viu algumas dessas doações e que de fato estavam em péssimo estado. 

    Em entrevista, a secretária Sandra Royes, afirmou que as roupas descartadas não tinham condições de uso. “Quando chegam as doações de roupa, é feita uma triagem com pessoas voluntarias e a roupa que não tem condições de uso, é separada para descarte. Na secretaria não vai nada fora, a não ser quando é algo que não serve. Se perguntar para todos os funcionários da secretaria o que foi feito com as roupas, eles saberão dizer”, explicou.

    “Só temos a agradecer o apoio que a comunidade tem nos dado em todas as nossas campanhas. Apenas lamento esse episódio ter tomado a proporção que tomou”, finalizou a secretária.  

    O fato é que, sendo roupas novas ou usadas, em boas ou más condições, isso pouco importa. O que realmente tem relevância é saber o porquê dessas roupas não serem doadas enquanto tinham condições de serem usadas? Sendo este o argumento utilizado pelo secretário. E também o porquê não fazer esse descarte de uma forma mais transparente? Estas perguntas são as que ficam no ar. 

    Reportagem: Marcelo Brum e Elliézer Garcez  
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br