Dom Pedrito – Sem água e luz, homem vive em condições precárias no interior do município

    55789f43.jpg

    Sem água encanada, energia elétrica e distante de ter uma condição de vida considerada das melhores, seu Reomar Leontino May, 69 anos de idade, vive em uma bolanta na localidade do Passinho do Batista. Nossa reportagem esteve visitando o morador, que vive em condição precária num terreno cedido pelo município há aproximadamente sete anos. 

    Ele contou à nossa reportagem que, além de criar galinhas e porcos, têm mais de 30 cachorros, que muitas vezes acabam dormindo juntamente com ele dentro da bolanta. "Como não tenho água encanada, tenho que buscar na barragem e acabo tomando aquela água mesmo. Cheguei a beber água com larvas de mosquito da dengue, mas agora coloquei os peixes cará dentro dos baldes, que acabam exterminando as larvas do mosquito. E não é o coliforme fecal do cará que vai me derrubar", disse o morador. 

    Seu Reomar mora em Dom Pedrito há muitos anos, mas não soube precisar há quanto tempo. Ele contou que é natural de Cachoeira do Sul e sempre trabalhou em granjas. O idoso recebe um auxílio do governo, valor este que ajuda na compra de alimentos para ele e para os bichos que cria. "Sou feliz com o que tenho. Fui nascido e criado no meio do mato e em galpão. Naquela época não tínhamos luz e água, mas vivíamos bem. Então não tem o porque eu me sentir infeliz", declarou seu Reomar, acrescentando que sua felicidade ficaria completa se existisse energia elétrica e água encanada onde mora. "Mas também não posso reclamar, por que tenho saúde acima de tudo", finalizou o homem. 

    Essa é mais uma história que muitas pessoas desconhecem e que não deixa de ser uma vida de superação diária.  

    O que diz o gerente da Corsan
    Segundo o gerente da Companhia Rio-Grandense de Saneamento (Corsan), Pedro Derli Teixeira, para a companhia iniciar um projeto para levar água encanada até seu Reomar. "Ele tem que levar um documento que comprove a concessão do terreno do município para ele. Se ele fizer isso, nós com certeza faremos a nossa parte", garantiu Pedro. 
     
    Nossa reportagem não conseguiu contato com a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE). 

    Reportagem: Elliézer Garcez e Marcelo Brum
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br