Dom Pedrito – Projeto Ponto de Cultura beneficia diversas crianças

    555b506f.jpg

    O projeto Ponto de Cultura Dom Pedrito, tem como coordenador Marinei Garcez. Dentro do projeto ocorrem ações ou subprojetos que são desenvolvidos. Na Escola Alexandre Vieira os alunos são contemplados com o Esporte Comunitário (futebol), que atende inicialmente 32 alunos do turno da manhã e tem como professor o desportista Airton Bages dos Santos (Airton Balaka). No projeto Música na Comunidade, o músico Letieri Silveira ministra aulas de violão para 20 crianças. O Artesanato Solidário atende as mães de todos os alunos, e as aulas ocorrem uma vez por semana na forma de oficinas. A professora é Solange Silveira.

    Segundo Marinei, também são desenvolvidas ações em outros locais, como, na Vila Arrué e na hospedaria da Maria Celoi, que é uma casa cedida para que o projeto possa ocorrer. "Temos a ideia de expandir para outros bairros e escolas dentro da possibilidade e da necessidade de cada um", revelou Garcez. "Contamos também, com o Cine no Bairro, que é itinerante e já foi feito nos bairros José Tude de Godoy, Vila Arrué e em breve será feito na Cohab", disse o coordenador. Ele define o projeto como algo muito completo e que possibilita uma série de atividade às pessoas.

    Na escola Alexandre Vieira estamos há um mês, nos demais locais há cinco meses. O Ponto de Cultura é conveniado em Dom Pedrito pela Cooperativa Habitacional Bela União, diretamente com o Ministério da Cultura e a Secretaria de Estado da Cultura, convênio este de duração ate junho de 2017.

    Segundo o professor Letieri Silveira,  as aulas dele no projeto iniciaram recentemente, há praticamente dois meses. Ele contou que o projeto em si já existia, porém faltava alguém disposto a orientar e ministrar aulas de música na escola.  

    O músico disse à reportagem do Portal Qwerty, que as aulas na escola Alexandre Vieira, têm sido proveitosas e gratificantes, pois lá existem crianças e adolescentes interessadas e dedicadas com os exercícios passados, além de estarem sempre atentas as orientações que são passadas. O professor disse que todos os alunos são esforçados e determinados e que estão sempre prontos para aprender da mesma forma que querem já tocar e cantar a fim de mostrar para os familiares e amigos aquilo que aprenderam e sabem fazer. 

    Silveira destaca a importância do projeto, através do Ponto de Cultura, que é quem oferece todas as oficinas. "É fundamental, sem dúvida alguma. Acredito que a música transforma o ser humano e o acesso a um instrumento ou a um microfone tem que vir de algum lugar. A cidade é rica em talentos, porém muitos desconhecidos por falta de oportunidade, portanto o Ponto de Cultura é de suma importância, não só para o município, mas para todas as pessoas que carregam uma vontade grande de tocar e cantar, mas que devido ao acesso limitado não conseguem sanar esse desejo.  Vejo o Ponto de Cultura como uma porta que se abriu para uma grande safra de futuros talentos", finalizou Letieri.

    Reportagem: Elliézer Garcez
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br