Dom Pedrito – Sine não tem quem encaminhe seguro-desemprego

    55117114.jpg

    Fomos até a agência do Sine para saber sobre o encaminhamento do seguro-desemprego, que, segundo relatos, não estaria sendo encaminhado por falta de um funcionário responsável. Na agência, foi informado que realmente não existe alguém responsável pelo encaminhamento do benefício. A situação vem causando muitos transtornos. 

    Conforme informações da agência, a pessoa responsável pelo seguro-desemprego ganhou uma bolsa de estudos e avisou, com dois meses de antecedência, que deixaria o cargo. O Governo do Estado foi comunicado e outra pessoa deveria ser designada para ocupar a função nesse período de aviso. No entanto, isso não aconteceu. Resultado: a agência está encaminhando os pedidos para Bagé ou Santana do Livramento. Atualmente, também não há um coordenador, que seria o responsável pela intermediação das vagas de emprego, além de chefiar a agência. Uma pessoa já teria sido nomeada, mas ainda não assumiu o cargo. 

    Ocasionalmente, na oportunidade em que a reportagem estava na agência, um rapaz chegou para o encaminhamento do seguro e a ele foi explicado que o serviço teria que ser feito nas cidades vizinhas, devido à falta de funcionário. Carlos Augusto Gonçalves, 40 anos, explicou que saiu do emprego há poucos dias e falou da dificuldade de ir até outra cidade para fazer algo que poderia ser feito na agência local. 

    Outro problema que a agência enfrenta é com o carro, que deveria ser utilizado para realizar serviços externos. Segundo foi relatado por funcionários, só quem tem autorização para operar o veículo é o coordenador da agência, que ainda não assumiu o posto. O veículo está parado na frente da agência, por falta de uma garagem. Vândalos já roubaram duas calotas e as palhetas do veículo (que foram repostas por um funcionário). No capô, há marcas de pés e um pneu está murcho. Segundo foi repassado por funcionários da agência, após tentativas para conseguir uma garagem para o veículo, ele foi guardado em uma garagem cedida pela Emater.

    Na falta de um coordenador, a intermediação entre empregador e agência fica mais difícil, tanto quanto a busca de vagas no mercado local pela agência, para que possa oferecer aos cadastrados um intermédio entre empregador e futuro empregado. Os problemas que a agência municipal enfrenta deverão ser solucionados em breve, segundo os funcionários, para que os serviços ofertados funcionem da maneira correta.

    Fonte: Gabriel Bueno

    Reportagem: Elliézer Garcez
    Setor de jornalismo: portal@qwerty.com.br


    Warning: A non-numeric value encountered in /home/qwerty/www/wp-content/themes/newspaper-original/includes/wp_booster/td_block.php on line 1009